Ilustração de casal heterossexual abraçado e deitado em uma cama. Eles estão cobertos com lençol laranja. Para ilustrar artigo sobre exame de DST completo

Exame de DST sem medo: tire todas as suas dúvidas

21 de mar de 2024
comentários

Saiba tudo sobre o exame de DST, quais doenças podem ser detectadas, quando fazer o exame e como cuidar da sua saúde sexual

Se ao marcar uma consulta médica de rotina, o especialista te indicar fazer exames de sangue, urina ou fezes, você vai achar um procedimento padrão e irá agendar os mesmos logo em seguida, certo? Mas, e se a sua médica recomendar que você também realize um exame de DST? Você também fará com a mesma tranquilidade? 

 

LEIA TAMBÉM:

 

Embora o controle das doenças sexualmente transmissíveis (DSTs) seja indispensável para qualquer pessoa com comportamento sexual ativo, este ainda é um tema cheio de estigmas e que, muitas vezes, gera vergonha e medo. Então, vamos desmistificar isso?

 

Ilustração de mulher conversando com médica para artigo sobre exame de DST

 

Por que fazer exame DST

São muitas as razões para fazer os exames que detectam DSTs, como:

 

  • Possibilita um diagnóstico precoce, o que permite iniciar o tratamento o mais rápido possível e, com isso, alcançar melhores resultados;

  • No caso do vírus HIV, um tratamento rápido e adequado pode controlar o vírus, até que ele fique indetectável e, com isso, intransmissível por via sexual;

  • Melhora a sua qualidade de vida;

  • Ajuda a prevenir a propagação das doenças sexualmente transmissíveis para outras pessoas;

  • Colabora para a saúde pública, uma vez que ajuda a controlar a disseminação de infecções na população.

 

É importante ter em mente que esses exames podem ser feitos rotineiramente, mesmo que você não apresente sintomas, ? Muitas DSTs são assintomáticas em suas fases iniciais, então, ao detectar precocemente, você também protege as pessoas com quem se relaciona

E, como não podemos deixar de lembrar: use camisinha. Afinal, só ela evita a transmissão de infecções sexualmente transmissíveis.

 

Quais doenças o exame de DST detecta

Os exames que detectam DST podem mostrar a presença das seguintes doenças sexualmente transmissíveis:

 

 

A boa notícia é que o SUS oferece gratuitamente testes para diagnóstico do HIV, da sífilis e das hepatites B e C. Sem falar que existe a vacina para HPV, hein? Vale se informar com o seu médico sobre ela, pois recebê-la pode ajudar na prevenção.

 

Em relação aos exames de DST, a sua médica pode pedir que você faça os testes rápidos, que são realizados com a coleta de uma gota de sangue na ponta do dedo ou com amostra de fluido oral. O resultado fica pronto em até meia hora. Há, ainda, os exames laboratoriais, com a coleta de sangue da veia e análise em laboratório.

 

Quando fazer exame de DST completo

Se você tiver uma relação sexual desprotegida, ou seja, sem o uso de preservativo, pode valer a pena realizar o exame de DST completo para ter certeza de que não houve uma contaminação. Mas, olha, não adianta se desesperar e correr para o laboratório, ? Isso porque existe algo chamado "prazo da janela imunológica", que é o intervalo de tempo entre o contato com o vírus até a primeira detecção de antígeno ou anticorpo produzido pelo sistema de defesa do organismo.  

 

No caso da sífilis e do HIV, deve-se esperar 30 dias após a relação desprotegida para realizar a testagem. Já para detectar as hepatites B e C, são necessários pelo menos 60 dias

 

Mas olha só: antes desses prazos, mesmo que não seja possível identificar a presença dos vírus, uma vez que você está contaminada, pode, sim, transmitir para outras pessoas. Então, já sabe, né? Use camisinha, amiga!

 

Se tiver dúvidas, consulte a sua médica e tenha uma conversa aberta com ela. Já passou da hora de tirar os estigmas das DSTs. 

 

Você também pode procurar uma unidade básica de saúde da rede pública ou os Centros de Testagem e Aconselhamento (CTA), onde os exames podem ser feitos de forma anônima. Deixe o medo e a vergonha de lado e coloque a sua saúde em primeiro lugar!

 

Tati Barros

Jornalista mineira, com mais de dez anos de experiência. É criadora e apresentadora do podcast Solteira Profissional, que aborda o universo de relacionamentos e sexualidade. Produz conteúdos para diversos veículos e formatos, com foco, especialmente, nas editorias de saúde, bem-estar e comportamento. Tem um grande interesse em pautas feministas e sempre está envolvida com essa temática.


Ficou com dúvidas? Kira Responde

Conteúdos pra você

Vem conversar com a gente!

Que tal trocar uma ideia com a nossa comunidade? Deixe seus comentários e bora aprender juntas!

Comentários

Cadastre-se para comentar e participar!