ardencia-na-vagina-1

Sentiu ardência na vagina? Vem saber o que pode ser

17 de jul de 2023
comentários

Você sabe o que é ardência na vagina? Te mostraremos os principais sintomas, causas e formas de tratamento dessa condição. Clique e confira!

Qualquer incômodo na ppk é um alerta que merece uma atenção especial. Por exemplo: você já sentiu uma sensação de ardência na vagina que surgiu do nada e você nem desconfiava da razão? Pois esse pode ser apenas um sinal de uma condição mais séria de saúde e que, se não for tratado, pode trazer complicações

 

ardencia-na-vagina-2

 

Ardência na vagina

A ardência na vagina por si só é uma mensagem importante de que o corpo está passando por algo, que ele não está funcionando como deveria. E isso pode ser ainda mais sério se estiver acompanhado de outros sintomas, como coceira, vermelhidão, inchaço, odor desagradável ou corrimento anormal.

 

Mas não precisa se desesperar, tá? O seu ginecologista fará o diagnóstico preciso e, a partir disso, indicará o melhor tratamento. Na maioria das vezes, pode ser algo bem simples de ser resolvido. 

 

O que pode ser ardência na vagina

A ardência vaginal pode ter várias razões e vamos citar algumas delas aqui. Mas, atenção! Nada de tentar fazer um autodiagnóstico, porque isso pode até mesmo piorar a condição. O ideal é procurar um profissional da saúde se você sentir ardência na vagina, ok? Mas vamos a algumas possíveis causas dessa condição:

 

  • Dermatite de contato

Algum agente, ao entrar em contato com a pele da vagina, pode causar essa ardência, que também pode vir acompanhada de coceira intensa. É importante investigar qual item está causando essa reação, como sabonetes, tecidos e perfumes. 

 

Essa é uma condição causada pelo excesso de alguns tipos de bactérias na vagina, que afetam o equilíbrio normal da região. Nesse caso, é comum sentir ardência ao urinar. Também pode ser possível apresentar corrimento vaginal anormal, dor, coceira e forte odor de peixe, principalmente após o sexo.

 

Essa é uma infecção fúngica bem comum nas mulheres e que pode ser ainda mais frequente em pessoas grávidas, que usam hormônios de contracepção, têm diabetes, possuem um sistema imunológico comprometido, tomaram recentemente ou estão tomando antibióticos. Além da queimação, os sintomas podem incluir coceira, dor, dor durante o sexo, dor ou desconforto ao urinar e corrimento.

 

A ardência ao urinar pode ser um sinal de infecção na bexiga, na uretra ou nos rins. Outros sintomas são: vontade de urinar com mais frequência, dor ao urinar, urina com cheiro forte ou turva, sangue na urina e dor na parte inferior do estômago.

 

Trata-se de um tipo de DST (doença sexualmente transmissível), ou seja, que é transmitida durante a relação sexual. Outros sintomas são: coceira, vermelhidão, dor ou desconforto ao urinar e corrimento vaginal com alterações e odor. 

 

Essa DST é uma infecção que atinge as membranas mucosas, como o colo do útero, o útero e as trompas de falópio. Também pode causar ardor vaginal ao urinar, corrimento vaginal e sangramento vaginal anormal. 

 

É um tipo de IST, ou seja, uma infecção transmitida por meio do contato sexual com alguém já infectado. Essa costuma ser uma condição silenciosa, o que quer dizer que não apresenta sintomas. Mas, quando ocorre, além da ardência na vagina, pode provocar corrimento vaginal aumentado, dor ao urinar e durante o sexo, sangramento entre os períodos. 

 

É um vírus que pode ser contraído pelo contato pele a pele com uma pessoa infectada. Quando alguém se infecta, o vírus permanece nela para sempre. 

 

ardencia-na-vagina-3

 

Como tratar a ardência vaginal

Como vocês viram acima, podem ser muitas as razões da ardência vaginal - e os sintomas de cada doença são semelhantes. Por isso mesmo, é essencial uma avaliação médica para identificar qual o caso e, consequentemente, o tratamento mais indicado.

Em algumas situações, o especialista pode optar por pedir uma colposcopia e uma biópsia para confirmar o diagnóstico de uma doença.

 

Vale lembrar que a ardência vaginal é um incômodo bem comum e, na maioria das vezes, facilmente tratado com pomadas ou antibióticos orais. Mas nada de usar medicamentos só porque funcionou com a sua amiga, tá? Isso pode agravar a situação. Procure sempre o profissional de saúde para um diagnóstico certeiro.

 

 

Tati Barros

Jornalista mineira, com mais de dez anos de experiência. É criadora e apresentadora do podcast Solteira Profissional, que aborda o universo de relacionamentos e sexualidade. Produz conteúdos para diversos veículos e formatos, com foco, especialmente, nas editorias de saúde, bem-estar e comportamento. Tem um grande interesse em pautas feministas e sempre está envolvida com essa temática.


Ficou com dúvidas? Kira Responde
Vem fazer parte da Comunidade Intimus®!
Troque ideias sobre suas experiências, tire dúvidas e interaja com meninas e mulheres como você, sobre menstruação ou qualquer outro assunto! Ah, tudo isso sem julgamentos, ok?
Além de toda a troca que você vai ter na comunidade, você ainda ganha recompensas!🏆
Juntas somos mais fortes. 🌸

Vem conversar com a gente!

Que tal trocar uma ideia com a nossa comunidade? Deixe seus comentários e bora aprender juntas!

Comentários

Cadastre-se para comentar e participar!