mulher ruiva com os cabelos voando
Pompoarismo: o que é, como fazer e benefícios
26 de jul de 2022

Pompoarismo: o que é, como fazer e benefícios

Camila Luz

Saiba o que é pompoarismo, a técnica de malhar a ppk que traz benefícios para escapes de xixi e a vida sexual

Todo músculo fica mais forte quando é trabalhado por meio de exercícios físicos. Isso é bem fácil de ver com quem frequenta academia. E com a ppk não é diferente! Fortalecer o assoalho pélvico, onde fica a musculatura da região íntima, traz benefícios para a saúde e ainda pode aumentar a sensação de prazer durante o sexo 🔥 O pompoarismo é uma das formas de fortalecer o assoalho pélvico. Já ouviu falar disso?

 

mulher sorrindo com uma mão apoiada no rosto e a outra dobrada embaixo

 

O que é pompoarismo

O pompoarismo é uma técnica milenar de controle e consciência dos músculos vaginais, como explica o Instituto de Longevidade. Praticá-lo é bem simples, pois consiste em uma série de movimentos de contração e relaxamento da região pélvica. Dá pra fazer agora mesmo, enquanto você lê este texto, e ninguém nem vai perceber!

 

O pompoarismo também é conhecido como exercícios de Kegel ou fisioterapia pélvica. Segundo um artigo publicado pela Universidade de Harvard, nos Estados Unidos, esses exercícios foram desenvolvidos nos anos 1940 pelo dr. Arnold H. Kegel, um ginecologista americano, para ajudar as mulheres a prevenir os escapes de xixi.

 

Com o passar dos anos, o assoalho pélvico vai ficando naturalmente mais fraco – o que acontece com todos os músculos do nosso corpo se a gente não os fortalecer. E por causa desse afrouxamento no assoalho pélvico, mulheres mais velhas podem ter escapes de xixi. As mulheres gestantes ou que acabaram de ter bebê também podem ter maior necessidade de fortalecer essa região, já que o corpo passa por grandes mudanças na gravidez – essas alterações e o parto podem afrouxar o assoalho pélvico.

 

Mas a verdade é que qualquer uma de nós pode ter escapes de xixi de vez em quando, durante um acesso de tosse ou uma gargalhada mais intensa, independentemente da idade. Além disso, a musculatura pélvica já começa a ficar mais fraca a partir dos 25 anos! Por isso, quanto mais cedo você aprender como fazer pompoarismo, melhor.

 

E se os escapes de xixi andam te incomodando, você pode procurar um médico para te orientar em um possível tratamento e contar com a ajuda do protetor íntimo para escape de xixi e o absorvente para menstruação e escape - os dois podem ser grandes aliados!

 

Para que serve o pompoarismo?

Bora voltar ao pompoarismo, porque ele tem tudo a ver com a prevenção dos escapes de xixi. A prática, aliás, serve para duas coisas, basicamente: melhorar a saúde do corpo e a vida sexual. Os exercícios de pompoarismo fazem com que o canal vaginal volte a ser mais apertado, evitando problemas como a incontinência urinária (ou escapes de xixi) e a redução da lubrificação vaginal.

 

Com a ppk mais fortalecida, pode ser que sua libido aumente – isso significa mais vontade de dar uns amassos e transar. Então, se o seu desejo sexual anda meio em baixa, praticar o pompoarismo pode ajudar.

 

Como fazer pompoarismo, o exercício feminino

Agora que você já conhece os benefícios do pompoarismo, é hora de preparar a ppk e aprender a praticá-lo. Por meio do exercício, você irá desenvolver a habilidade de controlar a contração e o relaxamento da musculatura vaginal de forma consciente.

 

Tem duas formas de praticar o pompoarismo. A primeira delas é fazendo os exercícios sem acessórios, em qualquer lugar, até mesmo na fila do supermercado, enquanto estuda para o vestibular ou durante uma maratona de séries.

 

Veja alguns exemplos, que pesquisamos com especialistas no assunto:

 

1 - Contrair e relaxar

A ideia aqui é muito simples: contrair e relaxar os músculos da vagina como se estivesse pulsando. Faça o mesmo movimento que você faz para segurar o xixi e, se ajudar, acompanhe com a respiração: inspire enquanto vai prendendo, sinta contrair e subir um pouco os músculos. Solte quando soltar o ar. Pode começar fazendo 5 vezes, depois passa para 10, pelo menos duas vezes ao dia. Quando estiver craque, chegue a até 30.

 

2 - Contrair, segurar e relaxar

Quando você se acostumar a fazer o exercício anterior, comece a treinar segurar a contração. Primeiro conte até 5 antes de relaxar. Depois, tente aumentar para 7, para 10 e 15. Faça também 10 séries de contrair, segurar e relaxar, duas vezes ao dia. Com o tempo fica muito mais fácil!

 

3 – Mulabanda

O mulabanda é uma prática da Yoga que pode ser adotada para malhar a ppk. Funciona assim: deite-se com a barriga pra cima em um colchonete com os braços estendidos ao longo do corpo. Flexione as pernas e apoie os pés no chão. Agora, eleve o quadril. Contraia os glúteos e segure por 10 segundos. Volte à posição inicial e relaxe. Repita algumas vezes, aumentando a duração do exercício à medida que os 10 segundos forem ficando fáceis.

 

mulher com um turbante no cabelo, sorrindo

 

Acessórios para pompoarismo

Se você deseja ir um passo além e tornar a ppk ainda mais fortona, existem os acessórios para pompoarismo. Eles podem garantir uma prática mais intensa e com maior consciência corporal.

 

As bolinhas tailandesas de ben-wa, por exemplo, devem ser sugadas pela vagina e depois expelidas, usando os movimentos de contração e relaxamento. Os mesmos exercícios podem ser feitos com acessórios que chamam cone vaginal, personal e colar tailandês - pequenos e com formato cilíndrico ou redondo.

 

Bom, parece meio complexo, né? Vale a pena bater um papo com a ginecologista para aprender a fazer os exercícios direitinho. Ela pode, inclusive, recomendar que você use um gel lubrificante para ajudar. Entenda, também, se existem contraindicações no seu caso. O pompoarismo pode não ser recomendado para mulheres gestantes, que usam o Dispositivo Intrauterino (DIU) ou que ainda não iniciaram a vida sexual.

 

Quando for comprar os acessórios, procure um fornecedor reconhecido pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária, a Anvisa.

 

Partiu malhar a ppk com segurança? 💪

 

Camila Luz

Jornalista formada pela Cásper Líbero, estudou Mídias Internacionais na Université Paris 8 e é mestre em Jornalismo e Direitos Humanos, com especialização em Diplomacia, pela Sciences Po Paris. Escreve sobre saúde, ciência e tecnologia desde 2016, com maior dedicação à saúde da mulher. Também é consultora em comunicação para organizações internacionais. Vive em Washington D.C. (EUA) e é fã assídua dos livros da Elena Ferrante.


Vem conversar com a gente!

Que tal trocar uma ideia com a nossa comunidade? Deixe seus comentários e bora aprender juntas!

Comentários

Cadastre-se para comentar e participar!

Cadastrar-se