Métodos contraceptivos naturais funcionam?
23 de mar de 2022

Métodos contraceptivos naturais funcionam?

Kira

Entenda o que são métodos contraceptivos naturais e a eficácia deles para prevenir uma gravidez

Métodos contraceptivos naturais são tão antigos que se você perguntar para a sua avó, até ela, em algum momento da vida, já usou um método como a tabelinha, por exemplo. Agora, se a gente olhar o tamanho das famílias de antigamente dá pra perceber que a efetividade dos métodos contraceptivos naturais pode não ser, assim, tão eficiente rs 😬

 

desenho de vários espermatozoides nadando

 

A verdade é que todo método contraceptivo (natural ou não) pode falhar. Nenhum método é 100% efetivo, mas alguns falham mais do que outros. O Índice de Pearl mede, desde 1933, a taxa de falha dos métodos contraceptivos. Ele demonstra quantas mulheres, a cada 100, provavelmente vão engravidar usando um determinado método contraceptivo.

 

O DIU de cobre, por exemplo, tem Índice de Pearl com taxa de 0,6 – ou seja, a cada 100 mulheres que usam esse método, menos de 1, ou 0,6, engravida). Já a pílula anticoncepcional tem a taxa de 0,3.

 

E muito dessa efetividade depende do uso perfeito do método contraceptivo: tomar a pílula todos os dias no mesmo horário, não esquecer dela um dia, não ter passado mal e vomitado logo depois de tomar a pílula, por exemplo.

 

A camisinha tem um Índice de Pearl que varia muito entre o uso perfeito e o uso típico, mais comum. No uso perfeito, o índice é 2, então a cada 100 mulheres que usam a camisinha, 2 engravidam. Mas no uso típico esse número sobe para 16! O que isso significa? Muita gente começa a penetração sem camisinha e só coloca depois, ou não coloca a camisinha do jeito certo. Por isso, além de escolher um método contraceptivo com boa efetividade, é preciso prestar atenção para fazer o uso correto, está bem?

 

E o que são métodos contraceptivos naturais?

Os métodos contraceptivos naturais envolvem você observar as variações fisiológicas do seu corpo. A antiga, clássica, tabelinha é um deles. Com esse método você conta os dias e calcula quando estará ovulando, e aí não tem relações sexuais nesses dias. A calculadora menstrual é uma ótima ferramenta para isso, mas sugerimos que a tabelinha, por mais interessante que seja, não seja seu único método. Combine com outro, como a camisinha, por exemplo.

 

No Índice de Pearl, a tabelinha tem uma taxa entre 2 e 5 – o que significa que entre 2 e 5 mulheres, a cada 100 que usam esse método, engravidam. Mas se a tabelinha for utilizada por um ano esse número sobe para 51! O que significa que, entre 100 mulheres que usam a tabelinha ao longo de um ano, mais da metade engravida. É um risco super alto, mostrando a baixa efetividade do método.

 

Se o desejo é não engravidar, melhor não confiar unicamente na tabelinha.

 

Percepção de fertilidade ou método Billings

A técnica de observação do muco cervical, mais conhecida como método Billings, consiste em observar o seu corrimento natural e perceber, com os sinais do corpo, quando você começou a ovular. Segundo pesquisadores, as chances de a relação sexual resultar em gravidez com o uso desse método variam conforme a ovulação da mulher: 4% de chance se a relação sexual ocorrer cinco dias antes da ovulação; de 25% a 28% se ocorrer nos dois dias antes da ovulação; de 8% a 10% nas 24 horas após a ovulação.

 

Nesse método contraceptivo, você aprende a reconhecer características do muco para entender se ele é de ovulação ou não. Para isso, precisa ter um bom treino e ótimo controle dos dias do seu ciclo menstrual. Ele é diferente da tabelinha porque não depende de uma "conta" e sim de observação diária.

 

desenho de um homem e uma mulher deitados na cama se abraçando

 

Coito interrompido

O coito interrompido também é considerado um método contraceptivo natural. Significa ter relações sexuais sem camisinha e tirar o pênis de dentro da vagina antes do momento da ejaculação. No Índice de Pearl, com o uso perfeito, a taxa é 4, já no uso típico, sobe para 27! O que faz sentido, porque na hora da relação sexual, em geral, estamos muito mais focados no prazer do que em controlar o momento da ejaculação.

 

E vale lembrar que, com esse método, você depende 100% do autocontrole do parceiro, que pode não conseguir ter toda essa percepção, por isso a efetividade é baixa.

 

Os métodos de contracepção naturais são interessantes, mas possuem menos efetividade do que outros métodos, como DIU, pílula e anel vaginal, por exemplo. É importante olhar para si mesma e se perguntar como você lidaria com uma gravidez inesperada ao depender desses métodos – às vezes pode ser um momento de vida que tudo bem correr esse risco.

 

Você pode conversar com seu ginecologista para perguntar sobre outras opções. Atualmente, existem métodos contraceptivos que duram 10 anos com alta eficácia, como o DIU de cobre. O importante é estar bem informada e segura das suas escolhas 😉


Vem conversar com a gente!

Que tal trocar uma ideia com a nossa comunidade? Deixe seus comentários e bora aprender juntas!

Comentários

Cadastre-se para comentar e participar!

Cadastrar-se