endometriose
Endometriose: O que é, causas e sintomas
20 de jan de 2022

Endometriose: O que é, causas e sintomas

Kira

Um guia pra saber tudo sobre a endometriose

Você sabe o que é endometriose? Para entender melhor sobre essa condição, primeiro imagine que o seu útero é como um gramado, daqueles que as pessoas vão com os amigos nos fins de semana ou os que aparecem em cenas de piquenique nos filmes. Visualizou? Ok. Se esse gramado recebe luz do sol e água da chuva, ele tem tudo o que precisa para crescer forte e saudável, certo? Mas se ele não tem nenhum dos dois, a grama que já se formou ali morre e seca, e só volta a brotar de novo se tiver as duas coisas juntas: sol e água. É possível comparar esse gramado ao nosso útero e esse ciclo de sol e chuva com a nossa menstruação e o ciclo mensal.

 

O endométrio é a camada externa do útero, que, no caso, representa o gramado. Todos os meses a gente passa pelo ciclo menstrual, e ao longo desse ciclo os hormônios progesterona e estrogênio (os principais hormônios femininos) agem sobre o corpo, o útero e o endométrio. O endométrio então cresce forte e saudável na expectativa de que a gente engravide e essa camada "mais reforçada" sirva para acolher e proteger o bebê. Quando não rola a fecundação os níveis desses dois hormônios caem, você menstrua e volta tudo ao normal com a ovulação que rola de novo no ciclo seguinte. Assim, o endométrio está sempre crescendo e se desfazendo, acompanhando o ciclo menstrual.

 

menina com colica

 

Mas o que acontece na endometriose? Pensa assim: e se você tirar um pedaço de grama de onde ela foi plantada e colocar em outro lugar, onde ela continue tendo acesso à luz do sol e à água da chuva, essa grama vai continuar a crescer normal, certo? Resumindo de um jeito bem simples, isso é a endometriose: uma doença em que as células do endométrio estão crescendo em outras partes do nosso corpo, mas agem como se estivessem no útero, crescendo e “morrendo” mensalmente.

Sintomas da endometriose

O Ministério da Saúde define a endometriose como uma "doença inflamatória provocada por células do endométrio (tecido que reveste o útero) que, em vez de serem expelidas durante a menstruação, se movimentam no sentido oposto e caem nos ovários ou na cavidade abdominal, onde voltam a multiplicar-se e a sangrar".

 

Sim, é como se você tivesse uma menstruação rolando todo mês fora do seu útero - e por isso a endometriose traz dores muito fortes e sangramentos intensos para quem tem esse diagnóstico. Inclusive, ter endometriose também dificulta as chances de engravidar - e de manter a gravidez até o fim.

 

Os sintomas principais são cólicas muito fortes e um período menstrual mais longo (maior do que sete dias). Esses são os dois principais sintomas da doença, mas também podem rolar dores no abdômen como um todo, dor quando for ao banheiro durante a menstruação ou durante o sexo e até infecção urinária.

 

O que causa endometriose?

A medicina ainda não tem uma resposta exata para essa pergunta, mas existem algumas teorias que geralmente são pensadas junto com os resultados dos exames que a mulher faz para diagnosticar (ou não) a endometriose. Entre as causas possíveis estão:

 

- Menstruação retrógrada: quando a menstruação vai para as trompas e outras áreas do abdômen ao invés de descer pela vagina. Aliás, essa condição é bem recorrente e acontece com 90% de nós mulheres, mas normalmente é bem de leve e não chega a atrapalhar a vida nem o ciclo menstrual;

 

- Células do endométrio viajam para outras partes do corpo pelo sistema linfático ou pelas veias, daí ficam por lá e se comportam como se estivessem no útero;

 

- Células de quando você ainda era um embrião na barriga da sua mãe e que estão em outras partes do corpo se transformam em células endometriais depois que você entra na puberdade, pelo efeito do estrogênio, crescendo e sangrando todo mês como se estivessem no útero;

 

- Genética, pois a ciência já constatou que ter mulheres na família com a doença aumenta sua chance de desenvolvê-la também;

 

- O estilo de vida, já que pesquisas já conseguiram relacionar a combinação de estresse, sistema imunológico fragilizado e ansiedade com o surgimento da endometriose.

 

médica

 

Como saber se eu tenho endometriose?

Para descobrir se as suas dores fortes durante a menstruação são por causa da endometriose, você precisa fazer exames de sangue e de imagem, mas antes de mais nada, precisa conversar com a sua médica.

Mais ou menos 20% das mulheres nem sabem que sofrem dessa doença, e acreditam que toda essa dor e esse fluxo intenso é perfeitamente normal. Só que não é! Nunca normalize sentir dor, ok?

Então, se você para a sua rotina (até mesmo as coisas normais) durante sua menstruação, como ir à escola ou fazer atividade física, por conta de cólicas, converse com a sua médica. Ela vai te fazer perguntas sobre o seu ciclo menstrual e seu histórico familiar e deve te pedir alguns exames de sangue - incluindo do CA-125, uma proteína que pode aparecer no sangue e é usada como marcador para esse diagnóstico específico da endometriose. A ginecologista também vai pedir uma ultrassonografia pélvica, para visualizar bem a situação da região toda.

 

Quais são os tratamentos para endometriose?

Infelizmente, por se tratar de um diagnóstico bem específico e uma doença que não é muito conhecida, pode ser necessário realizar uma cirurgia para visualizar a região e confirmar se é mesmo endometriose 😕

 

O tratamento depende muito do diagnóstico, por isso ele é tão importante: com o passar dos ciclos, essas células de endométrio vão crescendo e podem "grudar" em outros órgãos, atrapalhando ou até interrompendo o funcionamento deles, de um jeito que não dá pra consertar nem com cirurgia. 

 

O tratamento também envolve remédios para aliviar a dor e existe a possibilidade de passar por tratamentos com hormônios, já que o estrogênio é considerado um dos responsáveis pela doença. Claro que isso vai variar de acordo com outros fatores específicos de cada paciente, e por isso é tão importante conversar com uma médica ou até procurar uma especialista em endometriose.

 

Mas, olha, já existem pesquisas que apontam que mudar o estilo de vida pode influenciar na condição. No final, o importante é que, depois de diagnosticada, a endometriose pode ser tratada e a mulher pode ter uma vida perfeitamente normal: é preciso acertar o melhor tratamento para cada caso e manter os exames de acompanhamento. O que vale é se cuidar sempre!


Vem conversar com a gente!

Que tal trocar uma ideia com a nossa comunidade? Deixe seus comentários e bora aprender juntas!

Comentários

Cadastre-se para comentar e participar!

Cadastrar-se