DST/ IST e Saúde Sexual: Como Cuidar do Seu Corpo
2 de ago de 2021

DST/ IST e Saúde Sexual: Como Cuidar do Seu Corpo

A Saúde Sexual é um assunto em alta e os estigmas vem se quebrando, autoconhecimento é cuidar do seu corpo e a Kira está junto com você nesse momento,entenda mais sobre DST e IST. Veja aqui!

Mais do que um monte de siglas, as infecções sexualmente transmissíveis podem representar um perigo para a sua saúde - no presente e no futuro

 

Quando o assunto é saúde sexual, coisas como cuidar da sua alimentação, praticar esportes e fazer exames regularmente são apenas uma parte da lista de recomendações. Isso porque, falando sobre prevenção de Infecções Sexualmente Transmissíveis (as ISTs, ou DSTs como eram conhecidas antigamente), a lista também precisa incluir o uso de preservativos e exames anuais, porque essas infecções são específicas da região genital e transmitidas pelo contato de sangue, saliva ou outras secreções. 

Até a sigla mudou de uns tempos pra cá, porque o Ministério da Saúde percebeu que dá pra ter a doença e ficar assintomático (sim, tipo covid) mas ainda transmitir para outras pessoas, daí a mudança de nome de Doenças para Infecções. 

Pra você continuar sendo essa garota incrível, Kira listou algumas das principais ISTs, os sintomas e a forma de transmissão, dá uma olhada - já que algumas você deve lembrar as aulas de biologia ou até de campanhas de saúde no carnaval:

 


  • Gonorreia e clamídia, causadas por bactérias e que geralmente estão associadas, atingindo a região genital, a garganta e os olhos. Nas mulheres, os principais sintomas são corrimento vaginal com dor no baixo ventre, e nos homens, corrimento no pênis e dor ao urinar. As duas infecções são tratadas com os antibióticos adequados, mas se não forem tratadas, podem levar à infertilidade, gravidez nas trompas e dor nas relações, entre outros problemas de saúde. A clamídia pode ser assintomática em 80% dos casos em mulheres;
  • Herpes genital, vírus similar ao da herpes que aparece na região do rosto, mas que ocorre na região da virilha e da mucosa genital. Por isso o vírus fica latente no nosso corpo, e as lesões aparecem em momentos em que a nossa imunidade está baixa. O tratamento para as lesões (que também são o momento em que o vírus está transmitindo) é feito com antivirais e pomadas;
  • Sífilis, é a infecção por uma bactéria que provoca feridas e manchas nas mãos e nos pés, que não sangram nem causam dor. A sífilis pode causar cegueira, paralisia e problemas cardíacos, e a transmissão acontece pelo contato com sangue contaminado - seja pela transfusão de sangue ou o compartilhamento de agulhas. Se diagnosticada e tratada corretamente, tem chances de cura;
  • HPV (Papilomavírus Humano), vírus que afeta a mucosa e a pele, provocando verrugas anogenitais (na região genital e ânus) e câncer, dependendo do tipo de vírus. O HPV é o principal causador do câncer de colo de útero nas mulheres, mas felizmente já existe uma vacina disponível no Sistema Único de Saúde para meninos e meninas de 9 a 14 anos - que junto com o uso de preservativos e os exames anuais (nesse caso, a colposcopia para as mulheres) são as únicas formas de prevenção;
  • Hepatite B, causada pelo vírus HBV, é transmitida por sangue contaminado (agulhas ou transfusão de sangue) ou por  relações sexuais desprotegidas e causa problemas no fígado, de cirrose ao câncer de fígado;
  • Vírus da Imunodeficiência Humana (HIV), ataca o sistema imunológico, principalmente os linfócitos. Não existe, ainda, uma cura, mas os tratamentos de antivirais já conseguem zerar a carga viral dos pacientes com o vírus e oferecem excelentes prognósticos. Na forma avançada da doença, chamada de AIDS (Síndrome da Imunodeficiência Adquirida), os pacientes ficam extremamente debilitados;

A camisinha, seja feminina ou masculina, é a principal forma de proteger a sua saúde e das pessoas com quem você faz sexo. É sempre importante prestar atenção ao jeito que ela é colocada e se tem ar na ponta, porque isso pode fazer a camisinha estourar, daí já era a proteção. O momento de colocar também tem relação com a proteção de todos: sempre antes da penetração, porque nossos corpos produzem secreções que já podem transmitir ou receber qualquer vírus ou bactéria. 

No sexo oral a camisinha também protege todo mundo, e para nós mulheres, ela deve ser cortada, retirando as pontas e formando um retângulo para proteger toda a região da vulva. Vale experimentar as camisinhas com sabor e até mesmo os géis comestíveis para deixar esse momento mais interessante sem perder a segurança. Infelizmente, a proteção da vulva na hora do sexo não está tão evoluída quanto a do pênis, o que é um problema já que pensar em sexo seguro deve ser independente da orientação sexual e atender a todes, todas e todos. 

Ah, também vale lembrar que o jeito que os preservativos são guardados também pode afetar a qualidade e a segurança do produto. Deixar em lugares quentes ou próximos de objetos pontiagudos pode comprometer a embalagem e o próprio látex, daí a proteção já era. E não esqueça, sempre, de conferir a data de validade indicada pelo fabricante, ok? Essa aí você não vai querer desrespeitar. 

Como, também nesse caso, conhecimento é poder, conversar com as pessoas da sua vida amorosa (vale crush, aquele rolinho fixo e até Mozão) é fundamental: seja transparente sobre tudo o que já aconteceu na sua vida e peça a mesma coisa da outra pessoa. Isso é importante porque, até mesmo no caso de uma candidíase vaginal - que é uma doença bem comum na vida de nós, mulheres - é preciso tratar os parceiros e parceiras sexuais também. Além disso, quanto antes você souber do diagnóstico, mais chances de sucesso no tratamento de todos. Não é para ter vergonha desse tipo de conversa, tá? Porque é exatamente falando sobre as ISTs e nossa saúde sexual que vamos derrubar todos os estigmas e preconceitos! E se você percebeu que tem alguma coisa estranha, corre pro seu médico! 

 

Um estigma da mulher está relacionado a nossa liberdade sexual. Por muito tempo fomos ensinadas que não teríamos valor se não seguíssemos o que nos era ensinado, e isso incluía uma série de restrições que iam da maneira como devemos nos vestir a quantas pessoas nos relacionamos. Por isso o feminismo é tão importante e temos que continuar batalhando para deixar de lado a pressão social e fazer nossas escolhas de acordo com o que acreditamos. 

No que diz respeito à nossa vida sexual, as duas coisas que realmente importam são a nossa felicidade e a nossa saúde. Por isso, dica da Kira: cuide-se física e emocionalmente. Isso inclui usar preservativo nas relações sexuais, fazer exames ginecológicos uma vez ao ano (com testes para as principais ISTs), cuidar da sua saúde no geral e ficar sempre de olho nos seus relacionamentos

Quanto aos rótulos, deixe todos com quem resolveu colocá-los em você. Sabe o ditado sobre gente feliz não incomodar? Pois então, seja essa pessoa feliz e deixe o incômodo para quem está infeliz. A nossa felicidade só diz respeito a nós mesmas! ;)

 

 


Queremos te escutar!

Estamos sempre buscando melhorar nossa plataforma. Deixe sua opinião aqui

Comentários

Os comentários serão publicados após aprovação

Cadastrar-se