Primeira menstruação: mudanças, sintomas... como lidar?
2 de ago de 2021

Primeira menstruação: mudanças, sintomas... como lidar?

Entenda os Sintomas e Mudanças da primeira menstruação, além disso entenda como lidar com este momento e como passar por todas questões do Primeiro Ciclo Menstrual. Veja mais!

 

A transformação do seu corpo para a maturidade de menstruar e ovular começa bem antes da menarca. Confira os sinais e saiba percebê-los!

 

A primeira menstruação é um marco na vida de uma menina, representa uma espécie de transição entre a vida de criança e a adolescência, nos deixa um pouco mais próximas da seriedade de ser adulta - mas calma que é só um pouco! O bom é saber que nada, com a gente, acontece do dia pra noite, então dá pra prestar atenção e perceber como essas mudanças vieram rolando e até se preparar para as próximas. 

Se você está na expectativa da sua menarca (também conhecida como a primeira menstruação de todas as menstruações), é preciso avisar que tem muitos sinais que seu corpo dá de que ela está para chegar. Na verdade, todas as mudanças físicas começam a acontecer com a gente mais ou menos dois anos antes, para só então rolar a menstruação. E quais são essas mudanças, Kira?

  • A famosa "espichada": você ganha alguns centímetros de altura em poucos meses. Nesse momento podem até aparecer as estrias, que são um sinal natural de que o crescimento foi num ritmo mais rápido do que a sua pele (que também é um órgão) dava conta de acompanhar. 
  • Os seios: não são exatamente como os das mulheres que você conhece porque ainda estão se desenvolvendo, mas já é possível perceber que existe mais por baixo da roupa. Primeiro surge uma espécie de "caroço", ou o que a médica vai chamar de 'botões mamários`, daí a região do mamilo escurece e se desenvolve um pouco. Até o amadurecimento total, seus seios levam mais ou menos quatro anos. 
  • Secreção vaginal: pode ser mais esbranquiçado ou mesmo amarelo bem claro, mas você vai perceber essa mudança na sua calcinha. Como seus hormônios já estão variando, a flora da sua vagina também está ficando diferente, e por isso a diferença nas secreções. Se chegar a te incomodar, pode antecipar a sua consulta com a ginecologista (ou o, se for o seu caso) para ter certeza que está tudo bem. E conte sempre com os protetores diários para deixar sua calcinha com a sensação de limpa e fresca o dia todo!
  • Curvas: a puberdade, que é a fase em que você está e quando acontecem as mudanças para a vida adulta, costuma definir as curvas do corpo também. Nessa hora, você pode ficar bem parecida com a sua mãe na mesma idade, porque isso também tem a ver com a nossa genética. Mas, basicamente, as principais mudanças podem ocorrer no quadril, que fica mais largo, e em outras partes do seu biotipo familiar… coxas e bumbum, ou cintura e seios… olhar para as mulheres da sua família (e para fotos delas nessa época) podem te dar uma noção do que esperar.
  • Variações de humor: talvez você não seja daquelas que viverá a Tensão Pré-Menstrual mensalmente, mas falando de ciclo feminino e variações de hormônios, as variações de humor têm chances de acontecer, sim. Pode ser só aquele chorinho emocionado com um comercial de creme dental, ou uma explosão de angústia+revolta+ódio quando você só queria dizer algo de um jeito sério, mas se acontecer, tá tudo bem, ok?

 

 

Agora que você já entendeu as principais mudanças do seu corpo, saiba que também é importante ter com quem conversar sobre essas questões - pode ser sua mãe, uma tia, suas amigas ou até mesmo a sua professora preferida da escola. O que vale é conversar: quanto mais falamos sobre um assunto, menos estigma existe sobre ele. 

Então não tenha vergonha de dizer que não quer participar da aula de educação física porque está com cólica, pedir licença para os seus professores porque precisa trocar o absorvente ou ficar mais quietinha com as amigas um dia porque está se sentindo bem assim. Tudo isso faz parte dessa nova fase, e vivê-la do seu jeito também é uma etapa do processo. 

E por isso, listamos algumas dicas que podem te ajudar durante essas mudanças: 

  • A menstruação é uma situação pessoal e íntima e não deve ser tratada como fato público. Por isso, não deixe que sua família transforme isso na última fofoca do bairro. “Ficar mocinha” não é um evento familiar, tá? É um assunto íntimo seu, então compartilhe com as pessoas em quem você confia. Claro, super vale conversar com as suas primas e tias mais velhas, porque elas já passaram por isso e podem te dar dicas preciosas. 
  • Menstruar é um sinal de saúde do seu corpo. Por isso, vale começar o acompanhamento médico quando esse momento chegar. Falar com uma ginecologista (ou um ginecologista) vai te ajudar a entender como seu corpo funciona e ficar de olho na sua saúde desde cedo - já dizia sua avó, "prevenir é melhor que remediar";
  • Quando o dia chegar, não tenha vergonha do seu absorvente, nem de estar menstruada. Não precisa fazer mil malabarismos pra esconder ele no bolso para ir ao banheiro nem pedir um usando códigos estranhos e secretos para sua amiga, ok? Faz parte da vida de toda mulher que está crescendo. E é sempre bom lembrar: tem que trocar sempre, mais ou menos a cada 4 horas, pra não correr o risco de transformar sua calcinha numa festa quentinha e úmida pras bactérias e fungos - eles adoram esse tipo de ambiente!
  • Para limpar a região, use apenas água e sabonete neutro (ou o Sabonete Intimus, que além de limpar ajuda a preservar as defesas naturais da região). Nada de duchas internas ou produtos perfumados - eles podem prejudicar a mucosa e a flora da região, que já funcionam direitinho do jeito que a natureza fez tudo, tá? Nessa hora, menos é mais!
  • Pratique atividades físicas, principalmente as leves, como caminhadas. Elas podem ajudar com desconfortos relacionados ao seu ciclo, incluindo as cólicas;
  • Converse com outras meninas e mulheres. Trocar ideias te ajuda a saber o que acontece com mais gente, o que pode ser legal para você e até quando você deve ficar de olho;
  • Estigmas como “não pode lavar o cabelo” ou “nada de esportes” durante a menstruação são apenas lendas urbanas - quando ninguém falava sobre estar menstruada por causa do preconceito. Na verdade, eles eram o jeito "bruto" de explicar algumas questões. Lavar o cabelo antigamente não incluía poder secá-lo com um secador, e por isso, as mulheres ficavam com frio, e isso influenciava na cólica (assim como tantas outras questões que envolvem temperaturas)
  • Crie seu calendário menstrual: anote tudo, desde a primeira menstruação, incluindo a cólica e (talvez) a TPM. Isso ajuda a entender a duração média dos ciclos e perceber o que acontece com o seu corpo durante o ciclo. A sua calculadora menstrual é uma das suas principais ferramentas de autoconhecimento;
  • Só porque você menstruou não significa que precisa se comportar como uma mulher adulta, tá? Respeite o seu tempo, para todas as fases da vida - elas são importantes e no futuro, você vai agradecer a si mesma por ter vivido tudo com calma;
  • A menstruação e seu ciclo podem ser novidades, mas não são nada de outro planeta. Por isso, se algo relacionado a isso começar a te impedir de viver sua vida, seja por fraquezas, indisposição ou dores, procure sua (ou o seu) ginecologista.


E se, mesmo depois disso, você ainda estiver com dificuldades para lidar com a sua primeira menstruação e o seu ciclo, lembre-se: todas nós já passamos por isso. Respira fundo e não tenha medo de pedir ajuda ou perguntar, porque a pessoa de quem você tem vergonha agora já esteve no mesmo lugar que o seu.

 


Queremos te escutar!

Estamos sempre buscando melhorar nossa plataforma. Deixe sua opinião aqui

Comentários

Os comentários serão publicados após aprovação

Cadastrar-se